26 de mai de 2010

Mulheres, Mulheres...

Fala sério, mulheres são tão iguais e tão diferentes ao mesmo tempo que é muito difícil dizer que conhece bem uma ou sabe o que outra vai fazer.
Elas são tão imprevisíveis que às vezes, são previsíveis só pra nos pegar de surpresa, e se elas notam que você estava tentando advinhar seus movimentos, elas reclamam que nunca são ouvidas, nunca prestamos atenção nelas, etc etc.
É interessante pensar sobre o assunto. Todos lembramos de alguma mulher importante para nós, seja a própria mãe querida, que nos ensinou como viver, seja aquela garota linda, inteligente e comprometida pela qual nos apaixonamos, e que faz questão de nos fazer sofrer por puro prazer.

E como nós sofremos por vocês, mulheres!
Somos chamados de diversos animais, considerados seres sem sentimentos e que se divertem ao deixar vocês nervosas.
Enquanto é consenso que as mulheres são valorosas, inteligentes, engraçadas e superiores, nós somos tachados de selvagens, simplesmente controlados por nossos instintos.
Como isso é possível?
Nós rastejamos muito por vocês, nos esforçamos pra fazer vocês felizes e não recebemos nem um dia só nosso?

Mesmo assim, não gostaria de uma vida com mulheres tão simples, tão fáceis de se entender. É um mérito alto conseguir acertar uma previsão envolvendo uma fêmea.
Detalhe : se acertamos uma vez, demoramos um bom tempo para conseguir este feito marcante novamente. Vocês simplesmente não abaixam a guarda...
Mesmo sendo tão inteligentes, vocês não conseguem entender que nós, simples homens, gostamos de vocês pelo que são, não pelo que tentam ser. Se são maduras, espertas, divertidas, felizes, lindas, não precisa se gabar sobre isso. Nós sabemos muito bem.

Estereótipos não servem em delta situações, mas em se tratando de mulheres, talvez alguns desses sirvam :
  • Loucas
  • Inconstantes
  • Bipolares
  • Imprevisíveis
  • Divertidas
  • Animadoras
  • Companheiras
E, acho que o mais correto, mesmo que muitos digam que não :
  • Necessárias

24 de mai de 2010

"Hey, Hey, I wanna be a Rockstar."

Eu já não espero mais pelas pessoas. Aprendi com uma grande amiga que esperar pelos outros não me leva a lugar nenhum. E por causa disso eu venho falando pouco com ela, infelizmente.
Vou finalmente assumir meus compromissos com o futuro que eu quero traçar. Revolucionar minha vida em 2 semanas, uma para chegar lá, e a outra para descobrir se me adapto.

Bom, hora de trabalhar sério.

19 de mai de 2010

Não acredite na verdade.
Ela é feita por mentiras coerentes.
Simples fatos ao acaso, que dependem
De um ponto de vista variado e único

Falta sentido para mim.
Um breu idiota,
Que me deixa perdido
Que nem cego em tiroteio.
Fala sério, você ainda acredita
No conto do viajante?
Cade a fonte? Confirmação?
Não acredite em nada.
Nem mesmo em mim.
Faça sua verdade. Confirma.
Comprova ou sufoca.

14 de mai de 2010

Reforma Blogária

Só hoje eu percebi porque ninguem comenta no blog. Só quem tinha conta no google podia postar.
Mas agora tá ok, consertei esse detalhe, e mudei o título do blog.
Espero que esse título seja mais impactante.

O poeta está morto.

O que era pra ser um simples caso
De sim ou não vira uma conversa filosófica
Onde você fica me enrolando
Enquanto perdemos horas e horas
Não peço muito pois pouco darei
Mas o que esperava eu nem mais sei

A esperança é a última que morre
Felicidade vai na linha de frente
Numa guerra de vontades
Onde quem não quer teme e mente

E aquele que quer corre atrás
Mas a mente é humana
E meros mortais não merecem saber
Que a verdade é soberana

A verdade morreu na atualidade
E a mentira se perdeu no meio da realidade
Cedeu na hora, com facilidade

O poeta está morto!
Foi pro céu e não voltou
A tempo de ensinar o povo a falar de amor.

13 de mai de 2010

Pés Firmes

Não erro meus passos.
Não aceito um acorde errado.
E sempre assumo a culpa
Quando erro, mesmo abominando.
Não me importo em ver
Meu castelo ser derrubado,
Eu sempre construo tudo de novo.

Tijolo por tijolo,
Cimento e vidraça.

As pessoas que me ajudam
Mudam como as estações
Às vezes algumas estão mais próximas
Mas as distantes sempre voltam

Eu caí
Mas não enconstei no chão.
Meus pés firmes me sustentaram
Nos momentos de solidão.
E a sola já gasta
De atravessar tantas ruas
Não pede descanso
Meu caminho é sua guia.

Inverso Espelhado

Eu me olhei
E ele me olhou.
Eu levantei um braço e acenei,
Assim como ele.
Parecíamos idênticos.
Cabelo, mãos, tronco, orelhas.
Mas havia uma diferença:
Ele sorria, e eu não.
Ele estava confiante, conformado.
Eu estava distante, confinado.
Era apenas um impostor,
Parecia feliz, enquanto eu sentia dor.

Sangue.
Escorria pela pia.
Ele também sangrava,
Não que isso sirva de consolo.
Mesmo ele sendo tão diferente de mim
Ele tem uma cara alegre
Enquanto eu sinto apenas tristeza.
Somos tão iguais, mas o sorriso o trai.
Nos cumprimentamos, apertando a mão um do outro.
E percebi que ele não era diferente de mim.
Ele sentia dor, escutava os gritos durante a noite.
A mesma dor, os mesmos gritos.
E a noite caiu, nos encaramos.
Olhos castanhos.
Tão iguais ao daquele que já se foi.
E o inverso de mim
É o mesmo do meu eu espelhado.

Silêncio

Não digo nada.
Não respondo nada mais que um bom dia.
Boa tarde, boa noite.
Obrigado, por favor.
Nada mais.
Eu não estou com raiva de ninguem.
Só quero segurar o fôlego,
Soterrado de ideias e desejos.
Mas me empreste o violão
E eu fico melhor do que antes.
Veja, algo que eu sei fazer
Um tantinho melhor que alguns.
Incontestavelmente inferior a outros.
Porém, é rústico, o som.
Cru. Simplesmente sincero
Quebrando o silêncio.
Como golpes quebram madeira.
Como ofensas quebram amizades.
Como problemas quebram famílias.
E os meus amigos agora são a platéia.
E eu sou a platéia de cada um.
Enquanto quebramos o silêncio
Felizes, cantando, brincando
Sem pensar no depois e no antes.
Apenas sorrindo e quebrando.
Quebrando aquilo que me sufocou.
E eu cheguei à superfície.
Vi com clareza o céu.
O Sol.
A Lua.
Sempre parados, cumprindo suas obrigações
E contando inúmeras histórias
De ódio, amor, tristeza, felicidade.
Em eterno Silêncio.

8 de mai de 2010

Teimosia

Eu me agarro a cada fiapo de esperança
De que ainda consigo entreter os outros
Será que eu não consigo mudar?
Será que você não consegue entender?

Eu sou assim, e você sabe disso
E sempre que isso te incomoda eu me pergunto
Por que você não vai?
Por que insistir no erro?

Eu não sou convincente
E não peço para você ficar
Você não ri com minhas piadas
E fala que não suporta mais

Mas ao mesmo tempo que a porta está aberta
Você insiste em ficar no hall, esperando eu passar

E ao mesmo tempo que eu odeio tudo isso
E tento me afastar rapidamente,
Não consigo voltar pra casa sozinho.

6 de mai de 2010

Tragicômico

O Amargurado andava pela rua, remoendo seus problemas quando avistou, sentado no meio-fio e com a pior cara do mundo, aquele que viria a conhecer como o Comediante.
Ele não entendeu. Não achava possível que uma pessoa cuja profissão era alegrar os outros pudesse sofrer de falta de alegria.
Ao perguntar o que aconteceu, o comediante deu um sorriso amarelo e disse : Minha esposa me traiu com meu melhor amigo, levou tudo de mim, minha família não me apoia, meus filhos me odeiam e eu ainda estou gripado.
"Como você, com todos seus problemas, consegue subir no palco depois de tudo isso e fazer uma porção de desconhecidos rir de histórias que você mesmo inventa, e que provavelmente devem ter alguma relação com sua situação? Você não pensa na sua mulher ao fazer uma piada sobre relacionamentos? Não pensa em seu melhor amigo, ao fazer uma piada sobre pessoas próximas? Não pensa em seus filhos ao fazer uma piada sobre família?" disse o Amargurado.
"Não, claro que não!" e o Comediante deu um sorriso verdadeiro "Eu nunca lembro dessas coisas quando subo lá para animar as pessoas. Não tem sentido."
Ao ver que o Amargurado estava confuso, explicou "Veja, ao fazer minhas piadas, eu deixo os outros felizes. Essa energia deles me alimenta, me dá uma razão para viver. De que adiante se preocupar com vários problemas se não tem nada que eu possa fazer? Sim, eu estou triste, mas eu não sou triste. Posso cair várias vezes, mas sempre vou me reerguer e nunca serei aleijado por problemas terrenos."
Para finalizar a conversa, ele simplesmente sorriu e falou :
-A vida é uma peça. Interprete bem seu papel e será lembrado eternamente por ele. Eu estou interpretando meu papel, eu sou O Comediante. Se eu não estivesse sempre feliz ao entrar em cena, aí sim eu não seria ninguem.

Sei lá

A vida é uma grande ilusão.

Tem dias que eu fico pensando na vida
E sinceramente não vejo saída
Como é por exemplo que dá pra entender
A gente mal nasce e começa a morrer
Depois da chegada vem sempre a partida
Porque não há nada sem seperação
Sei lá,
Sei lá
a vida é uma grande ilusão
Sei lá,
Sei lá,
Eu só sei que ela está com a razão

4 de mai de 2010

Eu queria ser Bob Dylan...

E poder tocar gaita como ninguem.
Ser um ídolo do rock, lendário, com direito a livros e afins sobre mim.
Tudo que eu quiser é só estalar os dedos e acontece, e ainda corro risco de conseguir compor uma música sobre isso.

---------------------------------------------------------------
Essa é a parte que eu caio da cama.

Sempre terá dias melhores

Ponha a cabeça do lado de fora da janela
Deixe o sol inundar 4 paredes como se fossem uma só
Pegue seu violão e mude o tom até se encontrar
Não deixe outros dizerem o que é e o que será

Não acredite na verdade
Pois você sabe que não é certo
Não acredite no senso
Escute sempre o sentido
Não acredite na realidade
Pois o que vale a pena é real para você e você apenas.

O que acontece é mais simples do que parece
Você cisma em complicar e os problemas aparecem
Tente parar um momento e espairecer
Faça uma loucura e tente se esquecer
Pinte uma sala, um quarto, uma cama
E se precisar de ajuda, me chama.