1 de jan de 2011

Um conto de cabo a rabo

Tirado do livro mais sem-sentido que eu já li, é o conto que o Rato conta para os animais presentes e para a protagonista explicando porque ele não gosta de gatos e cães.

"Fúria disse para o Rato
Ao encontrá-lo no ato:
'Vamos já ao tribunal, lá te darei um processo.

Vamos, não venhas com lamento,
Vamos ao teu julgamento.
Esta manhã eu estou, só para isso, em recesso.'

Disse o Rato ao Cachorro:
'Tal julgamento, socorro!
Sem júri e sem juiz, é desperdício de corte.'

'Serei o júri e o juiz.
Eu, caçador de perdiz,
Julgarei a causa toda e a sentença é a morte.'"

Um comentário: