14 de mai de 2010

O poeta está morto.

O que era pra ser um simples caso
De sim ou não vira uma conversa filosófica
Onde você fica me enrolando
Enquanto perdemos horas e horas
Não peço muito pois pouco darei
Mas o que esperava eu nem mais sei

A esperança é a última que morre
Felicidade vai na linha de frente
Numa guerra de vontades
Onde quem não quer teme e mente

E aquele que quer corre atrás
Mas a mente é humana
E meros mortais não merecem saber
Que a verdade é soberana

A verdade morreu na atualidade
E a mentira se perdeu no meio da realidade
Cedeu na hora, com facilidade

O poeta está morto!
Foi pro céu e não voltou
A tempo de ensinar o povo a falar de amor.

Um comentário:

  1. como sempre, muito bom
    :D
    não sbaia que estava cercada de poetas por todos os lados
    ;*

    ResponderExcluir