13 de mai de 2010

Pés Firmes

Não erro meus passos.
Não aceito um acorde errado.
E sempre assumo a culpa
Quando erro, mesmo abominando.
Não me importo em ver
Meu castelo ser derrubado,
Eu sempre construo tudo de novo.

Tijolo por tijolo,
Cimento e vidraça.

As pessoas que me ajudam
Mudam como as estações
Às vezes algumas estão mais próximas
Mas as distantes sempre voltam

Eu caí
Mas não enconstei no chão.
Meus pés firmes me sustentaram
Nos momentos de solidão.
E a sola já gasta
De atravessar tantas ruas
Não pede descanso
Meu caminho é sua guia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário